sexta-feira, 8 de abril de 2011

Ah, se eu fosse cobertor.



Tosse, dor de garganta e o sono que me falta. Antes eu até teria o motivo da sua ausência e a falta do calor do seu corpo que aquece minhas mãos para explicar uma noite mal dormida. Mas hoje não, hoje você esta ai, deitada e enrolada com esse cobertor, se aquecendo com esse calor artificial e esquecendo que meu corpo poderia ser cobertor. E como eu queria ser cobertor agora. Poder te enrolar em meus braços e te proteger do frio que vem com o vento a noite toda. Ah se eu fosse esse cobertor: esse mesmo com nosso cheiro entranhado a ele como se fosse um-pedaço-da-noite-passada. Se eu fosse cobertor agora e pudesse te cobrir o corpo todo...Me encostar feito rouba-justa e virar segunda-pele. Como eu queria ser cobertor, até mesmo aquele de lã-velha-e-verde que quase não esquenta, não importa. O que eu queria mesmo era ser seu cobertor.



Texto antigo e reeditado.

3 comentários:

  1. Um ar apaixonante, gostei muito do seu blog.

    ResponderExcluir
  2. gostei desse , belo texto Bian .. abraços

    ResponderExcluir
  3. Aew achei seu blog! e seu facebook ^^
    Adorei seus textos,são verdadeiros e lindos!

    ResponderExcluir